Esfiha Integral

Sou daquelas que adora inventar receitas com sobrinhas, dificilmente faço compras específicas para cozinhar algo, o mais comum é verificar o que tem disponível na geladeira e armários e bolar algo (geralmente inédito).

A última “sobrinha” que virou algo delicioso foi um refogado de berinjela. Seu destino era ser recheio de coxinha, mas ficou muito molinho e não rolou. Então, no dia seguinte o, ainda mais, delicioso refogado se tornou uma gostosa esfiha!

A receita é a adaptação da famosa esfiha vendia a centavos por um tal fast-food. Segue ela:

Esfiha Integral

Massa:

  • 750g de farinha de trigo
  • 320g de farinha de trigo integral (já usei centeio e também ficou bom)
  • 13g de açúcar (pode ser refinado, demerara, mascavo, e acho até que mel e melado devem ficar ótimos)
  • 105ml de óleo (uso de girassol)
  • 540ml de água
  • 10g de sal
  • 13g de fermento biológico seco ou instantâneo (ou 39g de fermento biológico fresco)
  • Farinha de fubá para polvilhar na hora modelagem

Recheio:

  • Opções: refogado de berinjela, ricota com ervas, cenoura ralada com curry, brócolis com castanhas, quatro queijos…
  • Queijo provolone e prato ralados.

Modo de Preparo

1. No multi-processador colocar a farinha de trigo, o fermento e o açúcar. Pode ser feita também em Panificadora Caseira, neste caso, seguir modo de preparo padrão do seu modelo.

2. Adicionar o óleo, água (aos poucos) e por último, o sal. Deixar bater até a massa ficar homogênea.

3. Sovar a massa sobre a mesa por alguns minutos.

4. Agora é preciso dividir a massa: dividir a massa ao meio, fazer um rolo (deslizando a tira de massa sobre a mesa), corte em pedaços tendo como medida 3 dedos (60 gramas).

5. Pegue cada pedaço e modele bolinhas.

6. O PULO-DO-GATO: peneire a farinha de milho numa forma grande ou na mesa e vá colocando as bolinhas aí. A farinha de milho não vai deixar que as bolinhas grudem e dará um sabor todo especial.

7. Usando as mãos achatar as bolinhas para dar forma às esfihas, modelando as bordinhas mais altas. Colocar uma porção de queijo ralado para ajudar a firmar a parte central da esfiha para receber o recheio. (Pré-aquecer o forno a 180 graus)

IMG_20140728_181241053

8. Coloque o recheio de sua preferência. Lembre de deixar a bordinha de massa sem recheio, para ficar com o acabamento bonito.

9. Colocar as esfihas numa assadeira untada e assar até que fique com as bordinhas douradas.

Dicas gerais:

– A massa é bem consistente, se notar que está mole colocar mais um pouco de farinha de trigo.

– Em dias frios, enquanto estiver manipulando a massa para fazer os discos, deixe um pano úmido sobre a massa não utilizada.

– Fica ótimo acrescentar na massa um pouco de fibra de trigo.

– Cobertura de gergelim, orégano, páprica picante dão um acabamento e sabor ainda mais especial.

IMG_20140728_183436235

Ah, o verão… Com sorvete caseiro é bem melhor.

Após um longo período longe deste querido blog, volto com uma receita bem refrescante e fácil. Para tentar compensar a fase sumida.

Este verão está sendo histórico para o pessoal da região Sul. Calor, calor, calor… e nada daquela chuvinha de verão de final de tarde que trazia um alívio para o corpo e a alma.
Para saciar a vontade absurda de comer sorvete todos os dias criei uma solução caseira, econômica e saudável. Quer coisa mais refrescante do que isso?!

Segue a receita do sorvete caseiro de manga com hortelã:

Ingredientes:
1/2 manga cortada em cubos e congelada
2 ramos de folhas de hortelã caseiro
Um pouquinho de suco de fruta ou água (aproximadamente 3 colheres de sopa)

Modo de preparo:
Pique a manga em cubos e congele. Aguarde ela congelar para continuar a receita.
No mixer (usando o potinho com a lâmina) ou processador de alimentos, coloque o suco, as folhas de hortelã e os cubos de manga.
Bata até formar um creme.

DSC04020
Outras combinações de sabores:

  • Abacaxi com hortelã e leite de coco
  • Banana com mel
  • Abacate com açúcar mascavo
  • Banana com manga

Dicas:
Se a manga estiver muito dura, deixar em temperatura ambiente uns 3 minutos para amolecer um pouquinho.
No mixer a receita deve ser feita em duas vezes, pois a capacidade do pote é pequena.
Cortar e congelar uma quantidade maior da fruta, para utilizar em mais de uma receita.
As frutas congeladas em pedaços também são ótimas para fazer sucos e vitaminas bem geladinhas.

Espero que este post refresque um pouco o verão de vocês ;)

Abraços doces!

Anjinho Suíço – Rostie de Macarrão Instantâneo

Navegando no site de Receitas do Mais Você, procurando comidinhas diferentes… achei uma ótima ideia! O meu querido Miojo em versão de festa! Um Rostie ou Batata-Suíça feito com o lúdico e polêmico macarrão instantâneo.

Para fazer a receita você vai precisar de uma omeleteira, é aquela frigideira com duas partes que se encaixam, para virar o omelete sem manobras radicais.

Os ingredientes para o Anjinho Suíço são os mais simples possíveis:

Anjinho Suíço
Rende uma unidade

Vai precisar de:
* 1 pacote de macarrão instantâneo
* 1 1/2 xícara de água

Opções de recheio:
* Pizza: queijo, tomate, orégano.
* Vegetariano: cenoura ralada, tomate, azeitona, queijo.
* Margerita light: ricota, tomate, manjericão.
> No recheio crie o “a moda da casa” vendo o que tem disponível na geladeira e armários e seja feliz!

Preparar é quase tão simples como a versão tradicional do macarrãozinho:
* Em um refratário alto quebrar a barra de macarrão instantâneo em pedaços pequenos, acrescentar uma xícara e meia de água (em temperatura ambiente) e o pacote de tempero do macarrão. Deixar hidratando até que a massa fique macia.
* Enquanto a massa hidrata você pode preparar o recheio, vendo o que tem na geladeira e picando os ingredientes.
* Escorrer o macarrão.
* Untar a omeleteira com azeite ou manteiga, colocar a metade da massa do macarrão forrando o fundo da omeleteira.
* Acrescentar o recheio. Colocar mais no meio para não vazar para os lados.
* Cobrir com a outra metade da massa do macarrão. Pode dar uma apertadinha com uma espátula.
* Deixar 5 min no fogo para cada lado.


Quem pode resistir a este macarrãozinho metido a besta e louco de bom! Crocante por fora, macio por dentro… Hummm Ótima pedida para as férias, volta da praia, ou para matar aquela vontade de comer um prato salgado sem muita dedicação e ingredientes especiais ;)

Se eu fosse você eu não deixava de fazer, é sucesso garantido!

Doce Abraço da Mari!

Receita original aqui!

A Melhor Tapioca do Mundo é de Tia Neide o/

Viagem ao Recife, não poderíamos deixar de conhecer a famosa tapioca de Olinda, e não bastando conhecer e provar uma vez, tivemos que voltar novamente antes da partida.

No centro histórico de Olinda fica o Alto da Sé, recheado de barraquinhas com tias fofas que fazem as melhores tapiocas do mundo. Chegamos quando já estavam recolhendo as barraquinhas e o vento não dava trégua. Fomos em uma barraca para comprar a famosa tapioca, mas a goma tinha acabado… Oxi, que azar… A moça que nos atendendo perguntou para a barraquinha vizinha “Ô Neide, ce tem goma?!”, e a Neide ainda tinha :) Barraquinha da Tia Neide ai fomos nós!

Sobre um braseiro rústico nasce esta iguaria maravilhosamente simples, recheio de coco e leite condensado. E coco de verdade, vissi? Natural, ralado, molhadinho e macio… Ai ai, muito bom!

Barraquinha de Tia Neide, vissi?

E tava boa que só!

Se for lá, procure Tia Neide, vissi?! ;) Não irá se arrepender!

Cheese Cake – Consegui!

Sábado passado fiz um o curso de “Montagem e decoração de tortas” no Centro Culinário Silvia Nicolau, e a receita que eu mais gostei foi a do Cheese Cake. A combinação de doce e salgado, queijo e geléia de frutas são uma tentação para mim!

Há tempos queria fazer esta torta, mas aquelas receitas com mil gramas de cream cheese (caríssimo) com gelatina sem sabor não atraiam muito… No curso a receita ensinada leva ricota e requeijão, achei muito interessante!! Fizemos a degustação no final do curso e adorei o sabor, suave e muito saboroso.

Cheese Cake com Geléia de Framboesa

CHEESE CAKE
Massa crocante, creme de queijos e geléia de frutas vermelhas

MASSA:

  • 200g de biscoito maizena
  • 50g de semente oleaginosa (opções: amêndoa, castanha-pará, catanha-de-cajú ou nozes) > usei castanha-do-pará
  • Manteiga (ou margarina) sem sal em temperatura ambiente > o quanto baste [usei um tablete de 200g de manteiga + 2 colheres de sopa de margarina]

Preparo:
1. Bata os biscoitos e a semente no liquidificador ou processador até formar uma farinha.
2. Transfira para uma tigela e adicione manteiga suficiente para obter uma massa maleável.
3. Forre uma forma (20cm) com papel alumínio e espalhe a massa no fundo (só no fundo, não nas laterais).
4. Reserve (enquanto prepara o recheio)
CREME DE QUEIJO:

  • 300g de ricota sem sal
  • 100g de requeijão
  • 1 lata de leite condensado
  • 4 gemas
  • 1/2 xícara de açúcar
  • 4 claras em neve
  • Raspas de um limão ou laranja

Preparo:
1. Bata no liquidificador o requeijão, o leite condensado, as gemas, a ricota e o açúcar.
2. Transfira para uma tigela e junte as raspas de limão ou laranja e as claras em neve.

> Aplicar o recheio sobre a massa e leve ao forno médio, pré-aquecido até dourar.

COBERTURA:

  • 1 vidro de geléia de frutas vermelhas

> Cobrir com a geléia de frutas e colocar para gelar antes de servir.

Fonte: Centro Culinário Silvia Nicolau

E o Augusto falou: “Faça-me pães!”

Sempre quis adentrar na arte dos pães :) O primeiro que fiz foi uma receita de liquidificador, registrada neste emocionante post! Ansiosa, já tentei acelerar o crescimento colocando a massa para crescer dentro do forno com temperatura mínima e matei o fermento com o excesso de temperatura… E alguns até fizeram um pequeno sucesso, mas na minha opinião faltava muito para ficar realmente BOM.

Até que um dia… ganhei a incrível “Máquina de Fazer Pães”, usadinha, mas de grátis tá bão demais! Fiz o primeiro pão, que ficou uma maravilha :) Super empolgada com o fermentoso futuro que tinha pela frente… comprei várias farinhas, fermento, misturas prontas para pão, uma locura! O Augusto mais empolgado ainda, cansado de fruta com granola no café da manhã, disse a célebre e marcante frase: “Faça-me pães!”.

Até que noutro dia… mais precisamente na segunda “usada” da máquina de pão… no meio do processo ouvimos um barulho estranho vindo da cozinha. E em segundos a promissora fábrica de pães desandou… A máquina pifou, foi para assistência, o valor do conserto era mais que metade de uma nova… enfim… a tristeza tomou conta da cozinha (e do Augusto). No fundo acho que pressão psicológica da frase do Augusto afetou magneticamente a pobre máquina.

Meu papi assistindo essa enfarinhada novela mexicana, tocado pelo nosso sentimento de perda, nos presenteu com uma NOVA MÁQUINA DE FAZER PÃES, agora zero quilômetro!!! Belezura, né?!

Dai para diante o que me “resta” é atender ao pedido desesperado do Augusto… fazendo muitos pães :) Segue algumas fotos da saga dos pães:

Conhece Mari’sfiha? Receita de Esfira do Habib’s feita pela Mari :)

O que uma faxina em revistas antigas pode revelar?! Que tal a receita de esfiha do Habib’s?! É mole ou quer mais!?

Minha mãe achou esta receita numa revista “Manequim: Faça e Venda” de um mês de outubro longínquo. Como eu não resisto a uma novidade e sempre quis saber o segredo da massa da esfiha do Habib’s fui testar a receita para o café do dia das mães. Abaixo o registro do processo :)

Fiz 1/3 da receita pois usar 2,5kg de farinha de trigo é demais para uma experiência :) Usei o multi-processador para misturar a massa, como a capacidade dele é para 500gr de massa, fiz a massa em duas partes. Dá para usar também batedeira, caso ela tenha pá para massa pesada. Ai vai a receita:

Esfiha do Habib’s

Recheio:
Preparar o recheio de sua preferência (carne moída, frango, espinafre c/ queijo…). Para essa quantidade fiz 1 kg de peito de frango, desfiadinho e refogado com cebola.

Massa:
830gr de farinha de trigo
10 gr de fermento biológico instantâneo (1 pacotinho)
83g de açúcar
83g de óleo
330 ml de água
2 pitadas de sal

farinha de milho médio (reservar)

Modo de Preparo

1. No multi-processador colocar a farinha de trigo, o fermento e o açúcar. Deixar descansar por 5 min.

2. Adicionar o óleo, água (aos poucos) e por último, o sal. Deixar bater até a massa ficar homogênea.

3. Sovar a massa sobre a mesa por alguns minutos.

4. Agora é preciso dividir a massa: dividir a massa ao meio, fazer um rolo (deslizando a tira de massa sobre a mesa), corte em pedaços tendo como medida 3 dedos.

5. Pegue cada pedaço e modele bolinhas.

6. O PULO-DO-GATO: peneire a farinha de milho numa forma grande ou na mesa e vá colocando as bolinhas aí. A farinha de milho não vai deixar que as bolinhas grudem e dará um sabor todo especial.

7. Usando as mãos achatar as bolinhas para dar forma às esfiras, modelando as bordinhas mais altas. Deixar a massa descansar por 20 min. (Pré-aquecer o forno a 180 graus)

8. Coloque o recheio de sua preferência, eu fiz de frango, pode ser um refogado de carne moída, bem simples. Lembre de deixar a bordinha de massa sem recheio, para ficar bem bunitinho.

9. Colocar as esfihas numa assadeira untada e assar até que fique com as bordinhas douradas.

Dicas gerais:

– A massa é bem consistente, se notar que está mole colocar mais um pouco de farinha de trigo.

– Em dias frios, enquanto estiver manipulando a massa para fazer os discos, deixe um pano úmido sobre a massa não utilizada.

Geeeente, a massa fica docinha contrastando o com recheio, a farinha de milho dá um super charme… enfim, deu super certo! Agora quero fazer com recheio de espinafre e queijo.

Bjinhos!