E o Augusto falou: “Faça-me pães!”

Sempre quis adentrar na arte dos pães :) O primeiro que fiz foi uma receita de liquidificador, registrada neste emocionante post! Ansiosa, já tentei acelerar o crescimento colocando a massa para crescer dentro do forno com temperatura mínima e matei o fermento com o excesso de temperatura… E alguns até fizeram um pequeno sucesso, mas na minha opinião faltava muito para ficar realmente BOM.

Até que um dia… ganhei a incrível “Máquina de Fazer Pães”, usadinha, mas de grátis tá bão demais! Fiz o primeiro pão, que ficou uma maravilha :) Super empolgada com o fermentoso futuro que tinha pela frente… comprei várias farinhas, fermento, misturas prontas para pão, uma locura! O Augusto mais empolgado ainda, cansado de fruta com granola no café da manhã, disse a célebre e marcante frase: “Faça-me pães!”.

Até que noutro dia… mais precisamente na segunda “usada” da máquina de pão… no meio do processo ouvimos um barulho estranho vindo da cozinha. E em segundos a promissora fábrica de pães desandou… A máquina pifou, foi para assistência, o valor do conserto era mais que metade de uma nova… enfim… a tristeza tomou conta da cozinha (e do Augusto). No fundo acho que pressão psicológica da frase do Augusto afetou magneticamente a pobre máquina.

Meu papi assistindo essa enfarinhada novela mexicana, tocado pelo nosso sentimento de perda, nos presenteu com uma NOVA MÁQUINA DE FAZER PÃES, agora zero quilômetro!!! Belezura, né?!

Dai para diante o que me “resta” é atender ao pedido desesperado do Augusto… fazendo muitos pães :) Segue algumas fotos da saga dos pães:

Processador é bom para o moral!

Na última sexta-feira chegou o processador de alimentos que comprei!!

Tive dúvidas sobre a qualidade pois comprei direto pela net, só tinha visto pela TV, mas hoje depois de fazer o teste de uso estou amaaaando essa engenhoca!

Como o aparelho tem vários recursos, pica, fatia, mistura massa, etc etc… pensei em fazer uma receita que utilizasse bem os recursos e que nunca tivesse sido feita por mim.

Peguei a receita clássica de empadão de frango da Mami, que sempre faz sucesso nos encontros familiares. Como é receita de mão nunca tinha me medito a fazer, mas com o super processador me aventurei!

E o resultado foi melhor que o esperado:

Criador e Criatura

Ali atrás do empadão aparece timidamente a base do processador :) meu mais novo amigo de infância!

Então vamos a receita:

Como recheio é de frango, já pode começar colocando o frango para cozinha. Sugiro 500 g de peito de frango para o preparo.

Massa:

3 xícaras de farinha de trigo
2 tabletes de margarina para culinária (200 g)
1 gema
1 colher de sopa de fermento

> bater estes ingredientes no processador até formar uma farofa.

> acrescentar meia xícara de leite (aos poucos) até a massa formar uma bola.

> deixar a massa descansar na geladeira enquanto prepara o recheio.

Recheio:

500 g de peito de frango (sem pele)
1 cebola picadinha (ah o processador nessa hora é tudo!)
4 colheres de molho de tomate pronto
1 cenoura em fatias (quem fatiou foi o processador!!!)
3 colheres de sopa de azeitonas picadas
de temperinhos: cebolinha, 1 tablete de caldo de galinha, 1 pitada de coloral (para dar cor) e pimenta do reino moída ;)

Com o frango já cozido, é fazer o refogado: dar uma fritadinha da cebola em azeite de oliva, colocar o coloral para dissolver no azeite, agregar o frango picado (procesador!!!) ou desfiado, as cenouras em fatias. Pode colocar um pouco de água para cozinhas as cenouras. Colocar os temperinhos e para ficar mais cremoso e consistente pode colocar uma colher de sopa de farinha de trigo.

O recheio precisa esfriar, pode colocar em uma assadeira maior para ter mais contato com o ar e resfriar mais rápido.

Montagem:

Com o recheio pronto é hora de voltar para a massa que já descansou na geladeira. Didiva a massa em duas partes iguais, uma forrar o fundo e laterais e outra para a cobertura. Uma dica é esticar a massa entre dois plásticos, pode ir forrando o fundo assadeira como um mosaico (em pedaços de massa menores) ou abrir a metade da massa e colocar inteira no fundo… acho desta última maneira mais fácil.

A espessura da massa pode ficar perto 0,5 cm, como tem fermento a massa irá crescer.

Após montar o fundo e as laterais do empadão, pincelar estas partes com a clara que sobrou do preparo da massa. É uma espécie de impermeabilização, para manter a massa crocante mesmo com o recheio com molho. Agora é colocar o recheio e cobrir com o restante da massa.

Nas bordas pode fazer um acabamento com garfo, e a massa que sobrar pode se transformar em decoração, modelando flores, arabescos, e até escrever alguma mensagem :)

Pincelar a torta com uma gema.

> Forno pré-aquecido 200ºC até ficar bem dourada a massa.

E depois da alquimia dos ingredientes e forno acontece isso:

Mandala Alimentar :)

Hora da verdade!

Uma ótima semana!