A Melhor Tapioca do Mundo é de Tia Neide o/

Viagem ao Recife, não poderíamos deixar de conhecer a famosa tapioca de Olinda, e não bastando conhecer e provar uma vez, tivemos que voltar novamente antes da partida.

No centro histórico de Olinda fica o Alto da Sé, recheado de barraquinhas com tias fofas que fazem as melhores tapiocas do mundo. Chegamos quando já estavam recolhendo as barraquinhas e o vento não dava trégua. Fomos em uma barraca para comprar a famosa tapioca, mas a goma tinha acabado… Oxi, que azar… A moça que nos atendendo perguntou para a barraquinha vizinha “Ô Neide, ce tem goma?!”, e a Neide ainda tinha :) Barraquinha da Tia Neide ai fomos nós!

Sobre um braseiro rústico nasce esta iguaria maravilhosamente simples, recheio de coco e leite condensado. E coco de verdade, vissi? Natural, ralado, molhadinho e macio… Ai ai, muito bom!

Barraquinha de Tia Neide, vissi?

E tava boa que só!

Se for lá, procure Tia Neide, vissi?! ;) Não irá se arrepender!

Lasanha de Abóbora

Sempre amei Tortéi! Massa recheada com abóbora, levemente adocicada, combina perfeitamente com molho ao sugo!

Na última viagem à Videria me inspirei com as abóboras do sítio e fiz uma versão preguiçosa do tortéi, uma lasanha de abóbora! :)

Simplérrima:

Massa fresca de lasanha
Abóbora Kabotiá (aquela com casca rugosa e verde)
> cortar em pedaços e cozinhar até ficar bem macia
> amassar fazendo um purê
> temperar com noz-moscada, pitada de sal e de canela
> opcional: um pouco de creme de leite para dar mais cremosidade
Molho de tomate (se for caseiro melhor!)
Queijo (pode ser mussarela, colonial, prato…)
Alecrim para decorar e aromatizar

Fazer camadas:
> mollho de tomate
> massa lasanha
> molho de tomate
> purê de abóbora
> queijo
> massa de lasanha
> molho de tomate
> purê de abóbora
> queijo
> assim por diante ;)
> terminar com massa de lasanha + molho de tomate + queijo + alecrim

Ficou uma delícia, já fiz duas vezes :) E fica melhor ainda no outro dia, é bom fazer uma lasanha beeeem grande, para sobrar para o almoço do dia seguinte ;)

Navegar é Preciso – Parte 2: Paraty / RJ

Como é bom recordar!!! Fazendo a seleção das fotos para este post me transportei para a mágica Paraty.

Não poderia começar de outra maneira, se não com a Igreja de Santa Rita vista do mar :) Melhor combinação da viagem: centro histórico > mar (que logo lembra frutos do mar :p).

Igreja de Santa Rita - Paraty / RJ

O centro histórico é super charmoso, inspira andar devagar, contemplar a vida e claro boemia…

Primeira parada gastronômica: pastelzinho de camarão com chopp na Casa Coupê | Praça Matriz.

Quer jeito melhor de começar a relaxar?!

Casa Coupê | Chopp + comida de buteco + localização privilegiada = Mesas disputadas!

Nesta primeira noite jantamos em um lugar muuuuito legal, mas claro que nestas horas os registros fotográficos dão “tilte” e nossa memória se encarrega de gravar os momentos, deve ser para que se tornem mais especiais.

Noutro dia… após passeio de escuna, tomando banho nas águas quentinhas com peixinhos listrados, encontramos numa casa venda de doces e salgados:

... e era por uma boa causa ;)

Tooorta de limão, massa crocante (e não era feita de bolacha), creme cítrico e uma generosa cobertura de merengue... afff

Como o salgado ainda é meu preferido, não aguentei e comprei um kibe... para ajudar a Festa do Divino, claro!

depois disso tudo, só abrindo uma coca mesmo...

Mas só de lanchinhos não se pára em pé! Num dia resolvermos jantar de verdade e olha o que aconteceu:

Frango A Cubana! Filé de peito a milanesa, banana a milanesa, batata frita e arroz a grega... ah, tinha alface tb!

Restaurante Caramujo, bem na entrada do centro histórico

Juro que não sabíamos que os filés de frango eram quase um frango inteiro a milanesa! Mas não é que comemos tudo!

Para fechar esse post uma imagem de Paraty pelo mar.

Ah o verão...

Logo outro post sobre Paraty!